Colateral


Michael Mann é um dos melhores realizadores da actualidade. Isto é ponto assente. O homem que faz da noite, dia. Perfeccionista por natureza e explorador compulsivo das suas personagens (o estudo feito a Vincent, e que é analisado no Making Of de "Colateral" é exemplo disso mesmo), Michael Mann nunca descura nenhum aspecto nos seus filmes.
É um verdadeiro realizador. E um grande realizador.

E "Colateral" é o seu segundo melhor filme, um filme que chega a emanar magia apesar do seu contexto e da aparente simplicidade da história. Mann filma de forma fantástica, encontrando pura beleza em locais tão (também) aparentemente insípidos como uma simples esquina de uma rua de Los Angeles ou um Taxi perfeitamente banal.
Filmado em alta definição, "Colateral" é visualmente estonteante e repleto de grandes momentos de Cinema, não só pela qualidade da imagem mas também pelo perfeccionismo e realismo das cenas. Mérito? De Mann evidentemente.

Mas não só. O subtil argumento de Stuart Beattie é repleto de diálogos profundos e existencialistas, ajudando a dinamizar o filme a torná-lo em algo mais, muito mais do que um mero filme de acção.
A banda-sonora está ao rubro, não descurando o registo visto noutras obras do realizador, e a fotografia destaca-se igualmente, não fugindo também ela ao padrão visto nos anteriores filmes de Michael Mann.

O maior trunfo de "Colateral" é, ainda assim, Tom Cruise. Mesmo com a sua altura e voz que, como bem sabemos, não intimidam muito, o actor compõe um vilão totalmente marcante e obtém mais uma grande interpretação.
Jamie Foxx é muito elogiado pela sua prestação, mas a meu ver não existem motivos para tal. Uma interpretação mediana. O mesmo não poderá ser dito da curta mas inesquecível presença de Javier Bardem, aqui ainda "pós-Anton Chigurh".

"Colateral" só é desfavorecido por se deixar apanhar numa rede de clichés e cenas tipicamente "à filme", que não só contrariam a natureza do filme mas também a do seu realizador. E são obviamente uma decepção.

Ainda assim e evidentemente, "Colateral" trata-se de um excelente filme e um dos melhores de Michael Mann.


"-You just met him once and you killed him like that?
-What? I should only kill people after I get to know them?"

"Yo, homie. Is that my briefcase?"


7 Eloquentes Intervenções Escritas:

Nasp disse...

Gosto muito deste filme tb, e sim é para ai o segundo ou terceiro melhor filme do Mann.

Rui Francisco Pereira disse...

Nasp,

E qual o teu top Mann? ;)

Jorge disse...

Magnífico. Surpreendeu-me quando o vi, e gostei mesmo muito. Mann filma a cidade de noite como mais ninguém, filma-a, caracteriza-a e desenvolve-a tal qual uma personagem. Que a ver bem é mesmo, pena outros realizadores não verem isso também, especialmente em filmes que pedem precisamente isso.

Tom Cruise está muito bem, claro, mas também gosto bastante da interpretação de Jamie Foxx.

O meu top Mann:
1-Collateral
2-The Last of the Mohicans
3-Public Enemies
4-Heat
5-The Insider

Falta-me ver o Ali, Miami Vice e Manhunter. Digo só que não elevo tanto The Insider e Heat, embora sejam grandes filmes (Mann é um grande realizador) porque sinceramente prefiro os títulos mais recentes. Talvez esteja a precisar de rever os mais antigos, talvez...bom mas estas listas são sempre muito pessoais, e aqui está a minha!

abraço

aPAULOf disse...

Só "Heat" bastaria para sabermos bem quem é Michael Mann e o seu tipo de cinema. Este "Colateral" é um magnifico filme e juntamente com "Heat", "The Insider"... dos que melhor destaque merecem. E mesmo sem concenso de outros cinéfilos, eu pessoalmente gosto muito do "Miami Vice". Se tivesse de juntar uns 5 filmes dele, "MV" estaria lá batidinho. Sim, eu sei que não gostas do MV... mas não o troco pelo "Ali" ou o "Inimigos Publicos" - este último é de categoria mas algo falta ao filme... e não sei o quê sequer. Já não me lembro bem do tal dos Moicanos não-sei-quê... sei que na altura o hype e os Oscars valorizavam-no mais do que achei que valia... mas talvez se o revisse hoje o apreciasse doutra forma.

Colateral...
Este é um filme que Mann na altura tratou, antecipadamente, em total digital (não usou fita) e teve de contornar os problemas que a filmagem digital encontra perante o factor noite (aliás esse era um dos atributos do filme que ele pretendia para enfrentar estas dificuldades e provar que dominar o digital HD era viável). E como ele o conseguiu... com grande categoria mesmo.
A fotografia do filme é marcante, por vezes angulosa e até mesmo vertiginosa, recriando tons noturnos encantadores e com uma limpeza impressionante (no Miami Vice, levou ainda mais longe tudo o que aprendeu com o digital).
Deu ainda a Tom Cruise uma oportunidade de ter outra faceta e este cumpriu-a muito bem convincente (pena Cruise não ter sabido também enveredar mais esta faceta de mau para aproveitar no futuro da sua carreira - ainda espero chegar a vê-lo a fazer novamente um outro tipo de vilão, menos de acção mas mais intenso e frio). Obviamente que um bom vilão e o seu oponente (do bem) só brilham se o argumento do filme for realmente bom e/ou inteligente. E nem isso faltou em "Colateral"... de me deixar a pensar no filme depois de ter acabado.
Aliás, o filme já o vi há uns bons anos e este comentário é feito pela memória que guardo do filme - que é o mais importante, pois significa que um filme deixa as suas marcas bem personalizadas.


Obs. Quando um filme fraqueja perante ti... caraças que é totalmente a matar. Recordo-me aqui há uns tempos quando "derreteste" o MV. Mas quando se aguentam bons... a critica é de grande nível. E este artigo, tem mesmo um bom texto... well done!!!

Rui Francisco Pereira disse...

Jorge,

Concordo contigo em relação a Colateral.

Em relação a esse top, também não considero o Heat um grande filme, mas já o Insider é uma obra-prima daquelas. ;)


PAULO,

Não vi O Último dos Moicanos, e Miami Vice não me enche as medidas como este Colateral, não.

Estamos de acordo em relação ao Colateral, e agradeço muito as tuas palavras finais. Muito mesmo! ;D


Abraços ;)

Sam disse...

Michael Mann é um visionário muito peculiar, e este COLATERAL uma das principais provas desta minha afirmação.

Um dos seus grandes trunfos para obter esse estatuto é a sua "rendição" à tecnologia e ao modo como a utiliza. COLATERAL mostra uma Los Angeles 'by night' como poucos conseguiram-no, e o recurso de Mann ao digital para filmar cenas nocturnas conheceu o "apogeu" com INIMIGOS PÚBLICOS — lembram-se daquela fantástica fotografia na sequência do tiroteio no meio da floresta?...

Excelente crítica.

Abraço.

P.S.: para responder ao repto, fica o meu Top Mann:

1) HEAT
2) O INFORMADOR
3) COLATERAL
4) INIMIGOS PÚBLICOS
5) O ÚLTIMO DOS MOICANOS

Rui Francisco Pereira disse...

Sam,

Considero o Public Enemies um filme menos conseguido de Mann, mas estamos de acordo quando ao realizador.

Muito obrigado pelo elogio ;)

Abraço

Enviar um comentário

O autor deste blogue apresenta os seus agradecimentos pelo comentário e relembra que este beneficiará sempre de uma resposta, já que cada comentário é tido como imprescincível e nunca subvalorizado.

Related Posts with Thumbnails