O Exterminador Implacável:A Salvação


Esta análise contém SPOILERS.
Depois do Dia do Julgamento, corre a guerra aberta dos homens contra as máquinas. O ano é 2018, e o líder da Revolta Humana, John Connor(Bale) tenta desesperadamente encontrar o jovem Kyle Reese(Yelchin), o seu futuro pai. Mas antes de John o encontrar, Kyle cruza-se com Marcus Wright(Worthington), um misterioso homem.

Seis anos depois do relativamente mal-sucedido "O Exterminador Implacável 3-Ascenção das Máquinas", Hollywood decidiu dar o tudo por tudo e deitar a cartada final(?) nesta saga já algo massacrada.E o "tiro" saiu muito ao lado.

Para começar temos um argumento adolescente e que apenas visa o estatuto de "muita parra, pouca uva". Alguém atirou para a história um novo e misterioso elemento, que todos pensam ser capaz(com este mesmo misticismo) de cativar as audiências.Contudo, esqueceram-se de algo importante:respostas.
Tudo o que sabemos sobre este personagem é que é uma máquina que pensa ser um homem, mas e o resto? Porquê que é assim? Por que lhe fizeram isto?E porquê a ele especificamente?E porque pensa ser humano? E porque luta por eles?
Tudo perguntas a que Helena Bonham Carter (num papel puramente comercial e muito desaparoveitado), tenta responder, já no final da fita. E a única coisa que dali se conclui é que, também ela, não andou lá a fazer nada.

Ora com buracos como estes, nem os excelentes efeitos especiais, nem o elenco podiam salvar o filme. E não o fazem.

Em primeiro plano temos um Christian Bale que tinha tudo para brilhar, porém não o faz. Bale perde-se entre o razoável e o overacting e o resultado é uma mistela mal trabalhada.
O mesmo se aplica ao restante elenco, no geral.

Resta agora um espacinho nesta análise para analisarmos as referências e homenagens aos outros filmes.
A primeira que quero referir é a aparição de "Arnold Scharzenegger". Eu, enquanto via o filme, não tinha a certeza se esta aparição se ia mesmo concretizar. Mas tinha a certeza do que esperar: um cameo todo estiloso do velho "T-800".E o que temos nós?! Um "Scharzenegger" todo nu da cabeça aos pés, a dar porrada no Bale. E, provavelmente, pergunta-se-ão o porquê das aspas no nome de Scharzeneger. Estão lá, pois eu realmente não consegui perceber se era mesmo Scharzenegger(o que eu duvido), ou apenas uma recriação digital do seu rosto(o que eu acho ridículo). Se alguém me pudesse esclarecer esclarecer esta dúvida, agradecia.
Temos também a mítica frase "I'll be back.", usada na fita de McG. E, devo dizer, nota negativa também para esta "homenagem", completamente descontextualizada e afirmada por um arrogante Christian Bale.
Finalmente, temos ainda uma breve passagem da canção "You Should Be Mine". Nota igualmente negativa, pois para além de ser utilizada de forma idiótica, se pensarmos um pouco, constatamos a quase impossibilidade desta referência.

Enfim, esta nova fita da série "Exterminador Implacável" não é, de todo, a salvação que se esperava...

"This is war, Connor. Lidership has its cost. You, above all, should know that."

2 Eloquentes Intervenções Escritas:

Fifeco disse...

Pois, sucintamente direi que estou totalmente de acordo com a análise feita. O principal ponto negativo é mesmo a "arrogância" de Bale.

Abraço

Jackie Brown disse...

É,realmente eu estava à espera de muito mais..
Até Bale deixa a desejar.

Abraço

Enviar um comentário

O autor deste blogue apresenta os seus agradecimentos pelo comentário e relembra que este beneficiará sempre de uma resposta, já que cada comentário é tido como imprescincível e nunca subvalorizado.

Related Posts with Thumbnails