Matrix


"Matrix" foi um fenómeno.Independentemente de se gostar ou não da fita dos irmãos Wachowski,há que reconhecer este facto. No entanto, quando analisado ao pormenor, "Matrix" revela mais fragilidades do que à partida queríamos ver.

O seu argumento é tido como uma das suas maiores qualidades. A realidade alternativa e inovadora apresentada pelos irmãos Wachowski é polvilhada por uma série de questões filosoficamente não só interessantes mas estimulantes. No entanto, as soluções que nos são apresentadas (quando nos são apresentadas) são, contrariamente às das duas sequelas, demasiado simples e redutoras.

Ainda assim, o maior problema de "Matrix" reside no facto de não aproveitar convictamente o potencial do seu argumento, deixando de lado a vertente filosófica e substancialmente mais interessante, sensivelmente a meio do filme, para dar lugar aos shows de pirotecnia pelos quais é realmente famoso.

Por sua vez, estas sequências de acção, apesar de verdadeiramente revolucionárias a todos os níveis (e isso ninguém pode negar), deambulam por uma série de clichés e irrealismos que parecem invisíveis à maior parte das pessoas.
Os mais flagrantes serão a falta de ferimentos após os combates, ou a indiferença dos personangens perante os alvejamentos que sofreram (Neo é alvejado por duas vezes, na recta final do filme, no entanto ainda consegue combater Smith, fugir dos restantes agentes, etc). Aliás, toda a famosa sequência do hall é tão estonteante quanto irrealista.

Mas, e se é certo que "Matrix" favorece a sua fruição visual, não é menos certo de que esta é uma vertente isenta de qualquer falha. Os efeitos especiais, a fotografia ou a fantástica realização a servir-se de um slow-motion perfeitamente doseado são exemplos do quão imaculada é a vertente técnica de "Matrix". Uma palavra ainda para a banda-sonora.

Referência final para o elenco. Apesar de, infelizmente, o duo romântico Keanu Reeves e Carrie-Ann Moss deixar a desejar (sobretudo o primeiro), os excelentes Laurence Fishburne e Hugo Weaving compensam (sobretudo o segundo, a criar um dos maiores vilões da história do Cinema). Destaque ainda para a marcante presença de Joe Pantoliano.

"Matrix" é um filme com defeitos e virtudes, sobrevalorizado hoje em dia, mas verdadeiramente revolucionário.


"Don't think you are, know you are."

"I'd like to share a revelation that I've had during my time here. It came to me when I tried to classify your species and I realized that you're not actually mammals. Every mammal on this planet instinctively develops a natural equilibrium with the surrounding environment but you humans do not. You move to an area and you multiply and multiply until every natural resource is consumed and the only way you can survive is to spread to another area. There is another organism on this planet that follows the same pattern. Do you know what it is? A virus. Human beings are a disease, a cancer of this planet. You're a plague and we are the cure."

"I imagine that right now, you're feeling a bit like Alice. Tumbling down the rabbit hole?"

"-You're cuter than I thought. I can see why she likes you.
-Who?
- Not too bright, though."


"You hear that Mr. Anderson?... That is the sound of inevitability... It is the sound of your death..."

"-What are you trying to tell me? That I can dodge bullets?
-No, Neo. I'm trying to tell you that when you're ready, you won't have to."


"-So what do you need? Besides a miracle.
- Guns. Lots of guns.
- Neo... nobody has ever done this before.
-That's why it's going to work."


"I know kung fu."

"Ignorance is bliss."

"You take the blue pill - the story ends, you wake up in your bed and believe whatever you want to believe. You take the red pill - you stay in Wonderland and I show you how deep the rabbit-hole goes."

13 Eloquentes Intervenções Escritas:

Tiago Ramos disse...

Os seguintes foram fracos, mas para mim Matrix é um excelente filme. Um marco do Cinema. 5 valores.

Filipe Assis disse...

Concordo com o Tiago, MATRIX é uma obra genial e visionária, um feito espectacular e revolucionário. 5 estrelas.

Cumps.
Filipe Assis
CINEROAD - A Estrada do Cinema

ArmPauloFerreira disse...

Puxa... arranjaste aí um poster mesmo muito alternativo. Desconhecia esse...

Quanto á review... parece mais dedicada aos actores do que ao filme mas... quem será que ainda não viu o filme nos dias de hoje? Portanto já sabem do que é...

Matrix é um dos mais importantes filmes da história do cinema desde o ano em que estreou. Provocou até um antes e um depois de Matrix.
Além de filme sci-fi, de acção... pode também ser visto como um dos melhores filmes de super-heróis que o cinema já viu.

É dos melhores filmes que já vi.

E posso dizer que adorei a sequela "Reloaded", que não é tão mítica e épica como o original mas... há lá algo que me satisfaz imenso.

Jackie Brown disse...

Tiago,

Um marco no Cinema, sem dúvida.
Um excelente filme, já duvido.


Roberto,

Uma obra visionária, espectcular e revolucionária.
Genial? 5 estrelas? Não.


Arm,


O póster oficial, apenas não é dos mais conhecidos apesar de ser, a meu ver, o melhor.

A review ainda estava em constução quando a viste, não passando de meros trechos da minha primeira crítica.
A definitiva está agora disponível.
O que dela tens a dizer?

Concordo com tudo o que dizes, embora não veja nele um filme de súper-heróis.

E, a meu ver, as características que referes não são suficientes para atingir o estatuto de obra-prima que muitos lhe imprimem.

Um filme revolucionário, mas um bom filme.

Quanto ao Reloaded... também há lá algo que me agrada imenso e que adoro: as batalhas repletas de CGI.
Tirando isso, tem a mesma (falta de) qualidade que Matrix Revolutions...


Abraços :)

João Bastos disse...

A primeira vez que vi o filme, achei uma grande porcaria. Dos piores filmes de sempre. Depois apareceu o "Reloaded" que redefiniu o que um mau filme. Depois de um segundo visionamento, ja consegui reconhecer algumas qualidades, mas só a nivel visual. O elenco está fraquissimo, destacando-se apenas Hugo Weaving.
Para o primeiro filme dou 2/5 (devido a Hugo Weaving e à componente visual).. Para os outros dois filmes dou 0/5...

Nekas disse...

Eu tendo a concordar com o Filipe e o Tiago. Matrix é uma obra revolucionária.
Não concordo com a tua review até porque o filme consegue muito bem dividir-se entre momentos de acção e momentos filosóficos.
Matrix ainda consegue ser um marco cinematográfico 10 anos depois! Quantos filmes é que conseguiram esta proeza nos últimos anos?


Abraço
Cinema as my World

Jackie Brown disse...

João,

Das primeiras vezes que vi Matrix, também não gostei muito.

Fui mudando a minha opinião, tendo chegado, creio, ao pico do meu apreço pelo filme.

Matrix tem de facto uma componente visual muito forte, mas o elenco não é fraquíssimo. Fishburne ou Pantoliano estão muito bem.

Aconselho-te a reveres Matrix.

Já os outros dois... bem, a minha opinião está um ou dois posts acima ;)


Bruno,

Matrix é, de facto, um marco. Mas repara, ser um marco implica intemporalidade, logo a década passada após a estreia do filme é algo irrelevante.

E muitos filmes são marcos. Muitos mesmo. Talvez não pelos motivos de Matrix.

Mas compreendo o que queres dizer, mas, mesmo sendo um marco, Matrix nunca é uma obra-prima.


Abraços!

ArmPauloFerreira disse...

Está realmente muito mais completinha a review agora. Depreende-se facilmente que não é um filme significativo para ti, o que obviamente torna as sequelas com valor quase nulo (já vi o post duplo seguinte e... é um ponto de vista entre muitos), facto que te entendo perfeitamente.

Quando o Matrix saiu nada havia comparável sequer. Quer ao nível das diversas implicações filosóficas, quer ao nível visual da acção.

A verdade é que és um critico de outra estirpe (cada vez mais evoluído em meandros mais elitista e arty -digo positivamente que vais ser grande numa outra esfera cinéfila muito mais cultural) e estes gêneros não assentam muito bem na tua esfera critica. E isso é importante de notar pois revejo muito de como era... até saber aceitar muito melhor o mainstream (que me satisfaz mais pelo escapismo e maior retorno em good feelings).
Bom mas comentava o filme e este àparte é um excesso da minha parte...

Jackie Brown disse...

Arm,

;)

Pois, isso de ser significativo é muito subjectivo. Por acaso, Matrix é um filme que me agrada e entretém bastante. Muito mesmo. Apenas não é uma obra-prima.

Já as sequelas, têm Hugo Weaving e as sequências de luta. Nada mais.

Em relação ao teu aparte, agradeço sinceramente as tuas palavras.

Confesso que não sei bem o que responder, até porque já anteriormente debatemos a influência da nossa diferença de idades nos gostos cinematográficos.

No entanto, não quero que presumas que Matrix me desagradou por ser mainstream, muito pelo contrário, é uma das características que mais aprecio nos filmes.

E esse aparte não foi, de todo, um excesso. Espero que continues a contribuir com tão excelsos comentários ;)

DiogoF. disse...

Eu até acho que Matrix conseguiu, e muito, ser profundo e filosófico. Mais até do que Inception, defendo eu - sendo que gostei muito dessa conjugação que foi agora feita pelo Nolan.

Rui Francisco Pereira disse...

Diogo,

Eu também acho, sem dúvida. Mas acho que podia ter sido muito mais ;)

Abraço

Jo Iúri disse...

Parabéns pelo blogue Rui! Está bastante bem conseguido e personalizado :)

Não consigo deixar de partilhar contigo a minha opinião quanto a este filme...

Subscrevo integralmente quando dizes que Matrix enveredou pelo caminho errado... diria mesmo que toma o rumo fácil do entretenimento que se traduz em duelos intensos munidos de efeitos especiais de um bom nível.

A dada altura ainda tive a esperança de que os WB seguissem para o Revolutions com um argumento viável, bem estruturado (porque considero que a génese do enredo tem de facto um fundo de grande interesse, ainda que não necessariamente inovador) - repara que a grande fonte de inspiração de Matrix parte do filme Ghost in the Shell... se o visualizares consegues apreender desde os primeiros minutos as diversas influências!
Até as tais múltiplas letrinhas verdes computorizadas a marcar o início do filme!

Mas isto para dizer que havia de facto uma qualquer fórmula de sucesso no que diz respeito ao argumento, no primeiro Matrix. Mantive a minha crença de que os WB iriam dar a volta por cima, enveredando pelo caminho que a meu ver estava em aberto: uma sequência cíclica e uma Matrix dentro de uma outra Matrix - quando o Neo utiliza poderes no mundo real, presumi que fosse essa a escolha lógica.

No final, o Revolutions acabou por ser um manto de retalhos e de incongruências que afundou magistralmente o "E se?" do Reloaded e me fez desejar que não tivessem existido quaisquer sequelas após o primeiro filme.

Tenho mesmo o primeiro Matrix como um dos filmes que integram o meu top 30... sempre me rendi ao seu fundo ideológico e às componentes técnicas magníficas.

Mas gostei da crítica e revi-me em boa parte da mesma. Vou-me mantendo atento às tuas publicações!

Cumprimentos,
João Iúri
http://animolico.blogspot.com/

Rui Francisco Pereira disse...

João,

Bem-vindo e obrigado. Estamos de facto em sintonia, este Matrix foi um golpe de génio dos dois irmãos que, assim que tiveram oportunidade, apenas foram capazes de nos mostrar um "inside look" de 4 horas em dois filmes das suas tendências fetichistas doentias e sexualmente questionáveis... E, claro, dois argumentos simplesmente péssimos...

Cumprimentos ;)

Enviar um comentário

O autor deste blogue apresenta os seus agradecimentos pelo comentário e relembra que este beneficiará sempre de uma resposta, já que cada comentário é tido como imprescincível e nunca subvalorizado.

Related Posts with Thumbnails