X-Men


Ficam por compreender as críticas negativas que receberam de forma tão pouco entusiasta este "X-Men". Com os cinemas a serem tomados de assalto por inúmeras adaptações de heróis da Marvel, poucas foram as obras que conseguiram um resultado final tão agradável quanto esta de Bryan Singer.

E é mesmo Bryan Singer, realizador de "Os Suspeitos do Costume" (crítica aqui), que salva "X-Men" da mediania, ao torná-lo um filme visualmente muito esimulante graças a um punhado de cenas memoráveis (a introdução, por exemplo) e uma direcção de actores competente.

Neste campo, destaque para Hugh Jackman, que assume o protagonismo com segurança, e Ian McKellen a trazer o classicismo e elegância de que o elenco necessitava.

De lamentar apenas que o argumento não acompanhe o empenho de Singer, não só pela própria escrita (alguns diálogos algo limitados e one-liners ridículas), mas também pelo desperdício do elenco (Halle Berry, James Marsden, Rebecca Romijn e, em parte, Patrick Stewart são "deitados fora") e de situações que só beneficiariam a obra (rivalidade entre Wolverine e Ciclope).

Mas pensando bem, "X-Men" é das melhores, senão a melhor adaptação do género.


"You, homo sapiens, and your guns..."

7 Eloquentes Intervenções Escritas:

Nekas disse...

O meu preferido da trilogia...

Abraço
Cinema as my World

Jackie Brown disse...

Bruno,

Não vi o terceiro, mas prefiro este ao segundo.

Abraço

CINE31 disse...

Grande filme! Mas ainda gosto mais do segundo!

ArmPauloFerreira disse...

Ora bem...

X-Men 1 foi uma bela duma adaptação para live-act de algo considerado, até na altura, como impossível e que falharia na transposição do multi-elenco do mundo dos mutantes Marvel. Mas nada faria supor que um novato no assunto, à partida uma outra razão para desconfiança, o conseguisse de forma tão bela e aceitável. Um dos mais queridos mutantes de todos eles, o Wolverine, não augurava boa coisa do actor escolhido por Synger, que visualmente não deixava antever ser capaz de deixar em filme o enorme carisma da personagem.

Toda a gente se enganou redondamente e Synger não só o fez com mestria como ainda conseguiu dar alento a se querer mais e a acreditarmos nestes mutantes. Além do mais Synger soube dar um fundo motivacional às personagens mais marcantes do filme. Nesse aspecto, não só conseguiu estabelecer Wolverine com extrema eficácia, deixando várias pontas soltas para outros vôos, como soube dar um fundo psicológico ainda mais interessante e relevante a Magneto, do que a própria BD (da era de ouro) dava a entender.
X-men 1 é um filme que se vai "desbobinado" saborosamente, e que não segue a habitual lógica de outros pois aqui é a evolução e auto-conhecimento pessoal e social de cada mutante que vai conduzindo os eventos para um final em equipa em primeira missão.
É adorável ver a inadequação de cada personagem a funcionar em equipa, ainda totalmente inseguros do que são capazes.

X-men 1 é um dos melhores filmes de super-heróis, porque precisamente não os trata como super-heróis e vilões mas sim facções duma mesma causa com "nuances" e divergências, vendo-se cada um a ter de cumprir a sua parte do lado que os aceita.
X-men 1 é um dos melhores filmes de super-heróis também porque soube perceber o que os antecessores tinham que funcionava. O avô e o pai desta geração de filmes de super-heróis, cada um representa uma geração (Superman 1 e Batman de Tim Burton) e deram a este todas as coordenadas, que Synger ainda dotou de grande inteligência e a seriedade que não se via neste género.
X-men 1 é um dos melhores filmes de super-heróis mas não da 1ª linha de melhores mas Synger sabia o que estava a fazer e foi com X-men 2 que aí sim colocou a fasquia altissima demais, colocando a sequela no panteão dos melhores de sempre do género e ainda conseguindo fazer a sequela melhor e um grande passo adiante que o antecessor (aqui neste aspecto só alguns conseguiram: Padrinho 2; Star Wars: Empire Strikes Back; The Dark Knight, entre outros).

E sim, JB, já percebes que discordo quando dizes que o X-men 2 é inferior.
X-men 2 é tão magistral que para mim nem sequer parece ter o "meio de filme" pois quando vejo, ele começa e... acaba sem dar por isso. Nada nele é à sorte... e foi pena Synger ter trocado concluir o X3 para fazer o Superman Returns...

Jackie Brown disse...

David,

Dentro do seu género, é um dos melhores.
Já o segundo não me diz tanto...


Armindo,

Muito obrigado, uma vez mais, pela excelência do testemunho ;)

Concordo com todas as tuas palavras, excepto na parte referente a X2.
Não o considero superior a este, mas antes um filme que vive muito de algum elenco e dos efeitos especiais.
Acho-o um mero filme ponte. Entretém muito bem, mas só isso ;)

Abraços!

CINE31 disse...

O X-2 também tem muita coisa para ler nas entrelinhas, mais fácil para quem conhece bem o universo da BD da Marvel

Jackie Brown disse...

David,

Não conheço a BD, mas acho que X2 tem... momentos.

No geral, entretém. Só.

Enviar um comentário

O autor deste blogue apresenta os seus agradecimentos pelo comentário e relembra que este beneficiará sempre de uma resposta, já que cada comentário é tido como imprescincível e nunca subvalorizado.

Related Posts with Thumbnails