A Senhora da Água


Esta análise faz parte do "Especial M. Nigth Shyamalan"
Cleveland Hepp(Giamatti) é empregado de um condomínio privado, fazendo todo o tipo de biscates, para garantir o conforto dos residentes. Numa noite, Hepp descobre uma misteriosa jovem, a nadar na piscina do condomínio, que diz ser uma "narf", uma criatura marinha que se encontra em perigo.

"A Senhora da Água" é, sem dúvida alguma, o mais controverso, complexo e arriscado título da curta filmografia de M. Night Shyamalan. Aqui, mais do que nunca, o realizador toma o derradeiro e mais profundo passo, no retratar de valores como a crença e a fé, numa fita que se perde, algures, entre a realidade e a fantasia assumindo-se, por vezes, como um thriller de suspense e, noutros momentos, como a "bedtime story" que o próprio realizador afirma ser.

E é precisamente por causa destas características tão radicais que Shyamalan impôs a "A Senhora da Água", que as opiniões se dividem tanto sobre o filme. O realizador indiano tenta encostar todas as pessoas que vêm este filme à parede, e obrigá-las a olhar para dentro da sua alma, e verificarem se são realmente seres, ou apenas corpos ocos. Terá Shyamalan este direito? Eu penso que não, mas tenho de lhe dar o mérito por produzir, realizar e, sobretudo, escrever esta corajosa obra.

Eu já tinha antes referido que não me agradam as misturas que Shyamalan persiste em fazer entre realidade e fantasia. Em "O Sexto Sentido" o resultado final acabou por me agradar, em "O Protegido" nem por isso. Em "A Senhora da Água", Shyamalan vai bem mais longe, ignorando por completo a barreira existente entre estes dois conceitos e o resultado final, apesar de não ser mau, não é completamente do meu agrado.

A realização de Shyamalan atinge um novo nível de excelência artística. Com planos belíssimos e excelente transição dos mesmos, Shyamalan tão depressa nos mostra imagens comuns e até algo aborrecidas, como consegue apresentar-nos também verdadeiros quadros que se movem, com especial destaque para algumas cenas nocturnas.E neste último aspecto, tenho de referir também a brilhante fotografia, a melhor de todos os filmes do indiano.

Quanto ao elenco, temos um fantástico Paul Giamatti, numa das melhores interpretações da sua carreira, e Bryce Dallas Howard que, embora não esteja no mesmo registo de "A Vila", se encontra bastante bem. Destaque ainda para o próprio M. Night Shyamalan, com uma interpretação segura.

Concluindo, "A Senhora da Água" não é, de todo, um filme fácil, sobretudo na sua aceitação. Mesmo assim, não se justificam todos os dedos que lhe foram apontados.

"Thank you, for saving my life."


6 Eloquentes Intervenções Escritas:

Roberto F. A. Simões disse...

"não me agradam as misturas que Shyamalan persiste em fazer entre realidade e fantasia"
... Oh Jackie Brown, esta é uma das principais características que definem Shyamalan! Que definem as suas obras! Não gostar da mistura é quase o mesmo que dizer que não se gosta do realizador ;) É o mesmo que dizer que não se gosta da fantasia dos filmes STAR WARS.

Quanto ao filme, 5*

Fico contente que, apesar de não gostares da mistura, ainda consigas acabar por defender o filme :b

Que nota lhe atribuis?

Cumps.
Roberto Simões
CINEROAD - A Estrada do Cinema

Jackie Brown disse...

Filipe, o que posso dizer?:P
Não me agradam mesmo. Para mim, são dois conceitos que não podem ser misturados.Já sei que pensas o contrário, e claro que não há problema nenhum.

E digo-te mais: aquele lado mais fantástico de O Sexto Sentido(e não me refiro ao facto do míudo ver mortos, mas sim aquelas polícticas de eles"só verem o que querem" é o único factor que me impediu de lhe atribuir as 5 estrelas.

E, já agora, não, não gosto da fantasia do Star Wars. Acho aquilo uma palhaçada pegada.

E em relação ao filme, sim apesar de ter aspecto menos conseguido(na minha opinião) reconheco-lhe muita qualidade. Para mim, este é o projecto mais pessoal de Shyamalan(o que não significa que seja o melhor ;).

E quanto à nota,esta está visível: 4 estrelas.
Não conseguiste ver, foi?

Abraço ;)

Tiago Ramos disse...

Sou fã de Shyamalan e quando vi este A Senhora da Água gostei bastante e fiquei surpreso pela quantidade de críticas negativas de que foi vítima. É precisamente a tal fusão de realidade e fantasia que me atraiu.

Jackie Brown disse...

Também me surpreenderam as críticas negativas referentes ao filme.

E eu não sou, de todo, contra filmes fantásticos. Adoro, por exemplo, os O Senhor dos Anéis.

Apenas não concordo que se recriem mundos realistas, para serem depois inseridos elementos de fantasia.

Abraço

Roberto F. A. Simões disse...

Ah, pronto, é que eu pensava que eras fã de Shyamalan! Assim já te compreendo. Quanto à classificação, não aparece no meu pc. Deve ser problema daqui.

Cumps.
Roberto Simões
CINEROAD – A Estrada do Cinema

Jackie Brown disse...

Não sou particularmente fã dele...
Mas gosto bastante das suas obras.

Pois apesar de não gostar das suas bases, aprecio outras caracteristicas.

Quanto à classficação, deve ser mesmo problema daí...

Abraço

Enviar um comentário

O autor deste blogue apresenta os seus agradecimentos pelo comentário e relembra que este beneficiará sempre de uma resposta, já que cada comentário é tido como imprescincível e nunca subvalorizado.

Related Posts with Thumbnails