Ratatui


Já todos o sabemos: a Pixar é incapaz de produzir um mau filme. Estes revolucionários estudos animados apresentam-nos, ano após ano, excelentes propostas animadas. Ao contrário da Dreamwoks, que continua a preterir a qualidade a favor do lucro, a Pixar é a verdadeira herdeira de toda a magia de Walt Disney.
Por isso mesmo, "Ratatui" nunca poderia se um mau filme. O que não invalida que, dentro da "família Pixar", "Ratatui" seja um dos filmes menos bons. O que, por sua vez, não invalida que "Ratatui" seja um bom filme. Confuso? Nem por isso.

"Ratatui" esbanja, sobretudo, dedicação e amor. Neste caso, o amor pela alimentação resulta numa fita dedicada e surpreendentemente informativa. Remy não é apenas um personagem sem essência que aparenta gostar de cozinhar, mas quase um verdadeiro rato que realmente sabe o que está a fazer. É esta tridimensionalidade argumentativa, este realismo das personagens que assegura a empatia do público.

Mas esta é uma característica já comum nas obras da Pixar e que, por si só, não eleva assim tanto o filme. No caso de "Ratatui", era necessária alguma descontracção e a existência de mais gags que atribuíssem ao filme mais fluidez. Não bastam problemáticas e vocabulário de cozinha, é preciso dar igual importância ao humor, para que "Ratatui" não caia nas malhas do aborrecimento. O que, por alguns momentos, chega a acontecer.

"Ratatui" é também um filme ligeiramente desequilibrado e incoerente, tentando apostar no já referido realismo (por exemplo, e ao contrário da maior parte das obras da Dreamworks, os animais não conseguem comunicar com os humanos por voz), mas é também possuidor de erros incríveis no mesmo campo (um rato que consegue manipular um homem, puxando-lhe os cabelos? Sim, pois...).

Os desempenhos vocais são todos feitos por actores semi-desconhecidos, com excepção para Peter O' Toole que, refira-se, está fantástico.
A nível técnico, "Ratatui" é obviamente irrepreensível. Animação e banda-sonora são magníficas.
A propósito, deixo aqui uma curiosidade: Sabiam que tenho um amigo meu, cujo pai é amigo de um tipo que trabalhou em "Ratatui"? Pois é, sou uma celebridade...

"Ratatui" venceu o o Óscar de Melhor Filme de Animação com toda a justiça. Como, aliás, todas as obras da Pixar.


"If we are what we eat, then I only want to eat the good stuff."

2 Eloquentes Intervenções Escritas:

JM disse...

Não concordo com alguns pontos. Não vejo falta de humor no filme, e o estar a inserir gags no filme iriam desequilibrá-lo. O que acho que não acontece com o filme como está. Existem muitos momentos de humor, embora não tão "na cara das pessoas" como, por exemplo, no Up. E nunca passei por momentos de aborrecimento.
Quanto à questão da incoerência do controlo por cabelos: não acho que seja falta de realismo. Olhar para os filmes da Pixar, pensando neles como se fossem fieis à realidade acho que é um erro que se fica tentado a cometer. Não deixam de ser desenhos animados e caricaturas da realidade. A ausência de comunicação vocal, e a utilização dos cabelos para controlar o Linguini vejo mais como uma alternativa à fácil utilização do diálogo verbal entre a ratazana e o humano. Em quantos outros filmes vemos casos destes?

Jackie Brown disse...

JM,

Acho que é visível a falta de humor. Ratatui tem poucos gags, comparado com obras como Incredibles ou Monsters Inc..
Sinceramente, acho que mais alguns momentos de humor, ainda para mais o excelente humor a que a Pixar nos tem habituado, só beneficiariam o filme e não o desequilibriariam.
Eu aborreci-me em alguns momentos.

Em relação à questão dos cabelos, é realmente uma questão de coêrencia da abordagem e não tanto de realismo.
Obviamente que é um filme animado e não um real, mas pareceu-me um facilitismo demasiado óbvio, fruto talvez de uma reflexão menor. Pareceu-me um espasmo de preguiça, custou-me a engolir.

Obrigado pelo excelente comentário!

Enviar um comentário

O autor deste blogue apresenta os seus agradecimentos pelo comentário e relembra que este beneficiará sempre de uma resposta, já que cada comentário é tido como imprescincível e nunca subvalorizado.

Related Posts with Thumbnails