Ultimato

Jason Bourne (Matt Damon) está mais determinado do que nunca em descobrir todas as ramificações da conspiração em que está envolvido, ao mesmo tempo em que persegue incessantemente a sua identidade.

A fasquia foi claramente elevada com "Supremacia", a segunda fita desta trilogia de acção, e também realizada por Paul Greengrass. A meu ver, o realizador tinha como meta a elaboração de algo que superasse o seu anterior produto, e que simultâneamente oferecesse uma conclusão à altura do hype criado à volta da trilogia.
Infelizmente, este "Ultimato" nada mais é do que um exercício vazio de inovação, e cujo interesse para o fim de Jason Bourne é tão pequeno, que o próprio filme chega a ser escusado.
Mas já lá iremos.

Independentemente de não ter atingido a sua meta, "Ultimato" é, antes de mais e sobretudo, um excelente filme de acção. Sequências brilhantemente orquestradas, originais e de grande fôlego, aliadas a um Matt Damon tão seguro e credível quanto apelativo, graças ao crescente misticismo que imprime a Bourne. Aqui, o mérito vai também para Paul Greengrass.

Infelizmente, Greengrass acaba por perder o controlo sob o seu próprio e peculiar estilo de realização, insistindo constantemente numa câmara tremida que provoca um misto nada simpático de irritação e frustração no espectador (excepção feita às cenas de acção, onde este estilo cai como uma luva).

É no entanto a sensação de déja-vu que perdura, uma vez que "Ultimato" acaba por ser muito semelhante a "Supremacia" em vários aspectos, senão quase todos.
E no factor que o podia distinguir da fita de 2004, a conclusão exigida, é onde
"Ultimato" mais falha com um final pouco coerente, inacabado e muito decepcionante. Não existe um twist, não existe uma pose final, e praticamente não existe Albert Finney (tanto tempo à sua espera, para uma aparição de 10 minutos.)

"Ultimato" é, sem dúvida, uma boa fita de acção. Mas já tinhamos uma.


"Listen people, do you have any idea who you're dealing with? This is Jason Bourne! You are nine hours behind the toughest target you have ever tracked."

2 Eloquentes Intervenções Escritas:

Nekas disse...

Ultimato foi o único filme que vi da saga de Bourne e devo dizer que gostei, não fiquei impressionado nem deslumbrado mas como filme de acção estava muito bom tirando a câmara que era muito chata...

Abraço
http://nekascw.blogspot.com/

Jackie Brown disse...

Bruno,

O único? Devias ver os outros para unires as pontas.

Como filme de acção, Ultimato é uma excelente proposta. Mas não é essencial.

E sim, a câmara é muito chatinha.

Abraço

Enviar um comentário

O autor deste blogue apresenta os seus agradecimentos pelo comentário e relembra que este beneficiará sempre de uma resposta, já que cada comentário é tido como imprescincível e nunca subvalorizado.

Related Posts with Thumbnails