O Protegido


Esta análise faz parte do "Especial M. Night Shyamalan".
Esta análise contém SPOILERS.


David Dunn(Willis) é um segurança que recebe a atenção de todos ao tornar-se o único sobrevivente, ileso, de um gravíssimo acidente de comboio.
Alguns dias depois do sucedido, David é abordado por Elijah Price(L. Jackson), um artista de BD com uma grave doença genética, que informa David de que este poderá ter poderes típicos de super-heróis.
Se ao princípio, David acha esta teoria ridícula, as constantes abordagens de Elijah acabam por começar a convencê-lo de que afinal este pode ter razão...

Em 1999, um jovem realizador de ascendência indiana escreve e realiza uma pequena obra que acaba por se tornar um grande sucesso a nível de crítica e público. O realizador? M. Night Shyamalan. O filme? "O Sexto Sentido".

A tarefa árdua que se seguia era conseguir fazer um filme igual ou superior ao referido. Um filme que conseguisse acabar a tarefa que "O Sexto Sentido" começou: consolidar a carreira e o estatuto de Shyamalan.
E o filme que se seguiu na carreira do jovem realizador foi "O Protegido".


E sim, penso que "O Protegido" consegue o objectivo que acima referi. Não, não é melhor do que "O Sexto Sentido", mas afirma-se como uma obra interessante e tecnicamente, a todos os níveis, muito competentes.

A câmara de Shyamalan movimenta-se com uma leveza que muito poucos conseguem obter. Exemplificando, posso referir os créditos iniciais ou o momento em que o personagem de Bruce Willis quase se afoga. A realização de Shyamalan, neste ponto, é verdadeiramente impressionante.


Já o argumento, também da autoria do indiano, é substancialmente débil. O enredo é original e o típico twist final está presente. Contudo, existem alguns defeitos.
Para começar, Shyamalan começa por mostrar a infância de Elijah, mas acaba por ignorar este fio condutor. Depois, a trama está também algo mal fundamentada. Quer nas razões que levam o personagem David a ser o que é, quer nos motivos que levam Elijah a preparar os atentados.
Mas o principal problema prende-se com o twist final. Está lá, mas não choca e impressiona como o twist de "O Sexto Sentido". Desta vez, Shyamalan preferiu não arriscar e o resultado fica aquém do que podia ter sido.


No elenco, Bruce Willis e Samuel L. Jackson juntam-se, cinco anos depois de "Die Hard-A Vingança" e seis depois de "Pulp Fiction".
A química entre ambos é muita e não desiludem. Bruce Willis está bem no seu papel, embora inferior a "O Sexto Sentido".Samuel L. Jackson está fantástico, numa excelente composição de um personagem que tão depressa desperta a nossa compaixão, como tão depressa desperta a nossa curiosidade. Uma interpretação realmente excelente de Jackson e pedia-se a nomeação(pelo menos) para o Óscar de Melhor Actor Secundário.


Concluindo, "O Protegido" é um bom filme, interessante, mas ao qual falta "aquele" toque de génio que o destaque dos outros. "Aquele" toque de génio que tanto "O Sexto Sentido" como "A Vila" possuem.


"In a comic, you know how you can tell who the archvillain is going to be? Is the exact opposite of the hero."

6 Eloquentes Intervenções Escritas:

Tiago Ramos disse...

O twist final é interessante! :P

Jackie Brown disse...

Sim, Tiago, é.

Mas também quase todos os twists o são:D

mas nao tem nem metade da força do twist final de "O Sexto Sentido"

Fifeco disse...

É um dos meus favoritos de Shyamalan, talvez o segundo melhor na minha opinião. Já o vi há muitos anos. Está na altura de o rever.

Abraço

Jackie Brown disse...

É uma fita interessante, mas Shyamalan já fez melhor.

Pelo menos(e para já) duas vezes:D

Abraço

Roberto F. A. Simões disse...

Em geral estou de acordo contigo, exceptuando quando dizes:

«a trama está também algo mal fundamentada. Quer nas razões que levam o personagem David a ser o que é, quer nos motivos que levam Elijah a preparar os atentados»

Penso que é claro que David é assim porque simplesmente nasceu assim - não há porque explicar mais, cada um nasce diferente, o próprio Elijah nasceu com aquela doença.

Também julgo que são claros os motivos que levam ELijah a concretizar os atentados. Ele queria descobrir o seu oposto, tentando persistentemente, para saber quem é. No fim percebe que é o arquivilão, por oposto ao herói.

Grande, grande filme.

Cumps.
Roberto Simões
CINEROAD – A Estrada do Cinema

Jackie Brown disse...

É posivel, mas é precisamente isso que me faz desgostar da trama.

Quando dizes"Penso que é claro que David é assim porque simplesmente nasceu assim - não há porque explicar mais, cada um nasce diferente, o próprio Elijah nasceu com aquela doença"

Que Elijah nasca com uma doença, pronto. Agora que David nasca com poderes de super heroi. É um facto irrealista, num mundo realista que Shyamalan retrata. E não combinam, especialmente por David ser assim porque "sim"

Abraço

Enviar um comentário

O autor deste blogue apresenta os seus agradecimentos pelo comentário e relembra que este beneficiará sempre de uma resposta, já que cada comentário é tido como imprescincível e nunca subvalorizado.

Related Posts with Thumbnails