Master & Commander- O Lado Longínquo do Mundo


"Master & Commander- O Lado Longínquo do Mundo", ou simplesmente "M&C-OLLdM", é um fascinante retrato cinematográfico das obras de Patrick O' Brian, e magistralmente dirigido por um Peter Weir no auge da sua carreira e que, depois do interessantíssimo trabalho em "The Truman Show- A Vida em Directo" (crítica aqui), prova a sua inegável mestria ao contornar o principal busílis desta adaptação: a falta de um argumento.

É um facto: "M&C-OLLdM" é muito sintético naquilo que (não) tem para contar. A sua história resume-se apenas a uma perseguição feita por um navio inglês a um navio francês. Tão simples quanto isto. E pensar-se-ia que, à partida, esta falha estrutural podia matar de imediato o filme, algo que não acontece devido, claro está, à enorme dedicação do realizador australiano.

Peter Weir envolve-se rapidamente, e de uma forma muito pessoal, no produto em que trabalha, criando assim uma fortíssima ligação entre o espectador e as personagens. Weir filma com grande intensidade e paixão, não só obtendo planos e enquadramentos visualmente estonteantes, mas conseguindo filmar de forma igualmente bela as mais variadas cenas. Quer sejam grandes momentos de acção -as poéticas batalhas marítimas- ou momentos à partida banais -os reconfortantes jantares da tripulação-, nada do que Peter Weir filma está a mais.
Todas as sequências têm uma conotação especial e uma tranquilidade parece preencher quem as está a ver, como se cada um de nós fizesse também parte da tripulação do Surprise. Weir esforça-se por captar ao máximo todo o ambiente de companheirismo e fraternidade vivido pelos intervenientes... e de facto consegue-o, criando uma empatia tal que torna impossível ao espectador ficar indiferente a todo aquele maravilhoso mundo marítimo.

Um forte apoio ao trabalho de Peter Weir é dado por outros aspectos técnicos que ajudam a tornar "M&C-OLLdM" um filme ainda mais fascinante. A banda-sonora, a sonoplastia, a cenografia, o soberbo guarda-roupa e especialmente a sensacional fotografia destacam-se claramente e contribuem para o tornar da "experiência Weir" verdadeiramente inesquecível.

Uma vez mais, Peter Weir volta a rodear-se de um elenco discretamente brilhante. Russel Crowe tem uma prestação magnífica, segura e confiante. O exemplo perfeito de um verdadeiro líder, sensível mas forte. É uma excelente interpretação do actor, que já está um pouco habituado a este género de performances bigger than life, depois de filmes como "Gladiador" (crítica aqui).
Igualmente fantástico está Paul Bettany, a contrabalançar a sua tranquilidade com a efusividade de Crowe, num underacting merecedor dos maiores elogios.
Elogios estes que, de uma forma geral, se aplicam a todo restante elenco, a maior parte dele desconhecido, mas todo ele competente.

Uma nota final para o poster que ilustra esta minha análise. É lindíssimo, verdadeiramente épico e, refira-se, ficaria ainda melhor sem a cabeça flutuante de Crowe.

"Master & Commander- O Lado Longínquo do Mundo" é, pois, uma experiência verdadeiramente fascinante, visualmente recompensadora e muito reconfortante. Não há como se apaixonar pelo universo idealizado por Peter Weir, ele que é a alma do filme.


"To wifes and sweethearts! May they never meet!"


6 Eloquentes Intervenções Escritas:

Sam disse...

Também gosto muito deste MASTER & COMMANDER. E a tua crítica despertou o meu desejo de revê-lo muito em breve.

Abraço.

Roberto F. A. Simões disse...

Nunca me passou pela cabeça que gostasses do filme e muito menos que lhe atribuísses um notão desses.

Concordo com tudo o que dizes na tua crítica, excepto quando te referes ao argumento. Eu sei o que queres dizer, mas de facto dás a noção de que o filme se resume a uma perseguição. E isso dá conta de que, porventura, não terás atingido a verdadeira natureza do filme.

De qualquer forma, gostei do que li e também eu fiquei mortinho por rever esta obra visualmente extraordinária e magistralmente concebida.

5/5

Cumps.
Roberto Simões
» CINEROAD - A Estrada do Cinema «

Sylvim disse...

Olá, manda-me um mail a dizer o que pretendes fazer em concreto. silviomedeiros17@gmail.com

Cristiano Contreiras disse...

Este filme me cativou, acho-o um exemplo bonito de cinema!

meu email é cristiano.contreiras@gmail.com

Neuroticon disse...

Este filme é apenas mediano, não aquece nem arrefece...
É perfeitamente dispensável...

Jackie Brown disse...

Sam,

Ainda bem! Até eu fiquei com vontade de o rever ;)


Roberto,

Fico novamente feliz por não corresponder às tuas expectativas (depois de O Aviador) ;)

Quando a qualidade existe, não tenho como não a reconhecer!


Em relação ao argumento, acho que só perceberá a minha frase quem já viu o filme.
Afinal de contas, tu percebeste! :P

Obrigado ;D


Sylvim,

Bem-vindo e obrigado pela prontidão!

Mandarei sim ;)


Cristiano,

Muito bonito mesmo, lindíssimo.

Fica atento à tua caixa de correio ;)


Neuroticon,

Como deves calcular, discordo totalmente das tuas palavras...


Abraços e obrigado!

Enviar um comentário

O autor deste blogue apresenta os seus agradecimentos pelo comentário e relembra que este beneficiará sempre de uma resposta, já que cada comentário é tido como imprescincível e nunca subvalorizado.

Related Posts with Thumbnails