Guilty Pleasures: Os Jardins Proibidos de um Cinéfilo


Tempo agora de prosseguir com esta iniciativa, apresentando as escolhas de um dos mais carismáticos bloggers desta blogosfera, autor do blogue Royale With Cheese.
Aqui estão os cinco maiores guilty pleasures do Pedro "dermot".


Gosto de ler sobre cinema. E gosto de escrever sobre cinema. Mas não gosto de conversar sobre cinema. No entanto, acabo por o fazer mais do que desejava, especialmente porque há muita gente que, sabendo que eu gosto de cinema, se sentem na obrigação de o fazer. Ou porque é, simplesmente, um bom e eficaz desbloqueador de conversa.

Nessas alturas, costumamos então falar dos últimos filmes que vimos, os filmes de determinado realizador ou as futuras estreias a chegar. Mas raramente revelamos os nossos guilty pleasures, aqueles filmes que gostamos secretamente e temos vergonha de dizer que gostamos. Por isso, há que aproveitar estas oportunidades que o destino nos oferece de podermos revelar, honestamente, os nossos guilty pleasures favoritos. Por isso, para simplificar a tarefa, nada como simplificar a coisa numa simples e sucinta lista dos meus cinco bons maus filmes favoritos
.



5º Lugar – A Fúria Do Último Escuteiro, de Tony Scott


O Tony Scott é como um acidente de viação: por mais mau aspecto que tenha, não resistimos a parar ao passar por um. Verdadeiro especialista em filmes-pipoca, Scott é um seguidor fiél da cartilha de Hollywood no que diz respeito a entretenimento, onde o bodycount e o número de explosões é sinal de qualidade. A Fúria Do Último Escuteiro é uma dessas bíblias, um dos últimos filmes de Tony Scott antes de este ceder à tentação dos filtros, das cores saturadas e dos tremeliques na câmara, que convencem os mais distraídos que aquilo é bom cinema. É apenas um bom buddy movie, com um disfuncional par formado por um polícia pouco ortodoxo – Bruce Willis na sua melhor forma – e um bandido regenerado, numa qualquer intriga que envolve droga e muito dinheiro (como habitual).



4º Lugar – Harley Davidson E O Cowboy Do Asfalto, de Simon Wincer


Harley Davidson E O Cowboy Do Asfalto tem, à partida, todos os condimentos para ser uma xungaria de alto nível: um realizador cujos pontos altos da carreira são o Libertem O Willy e o segundo Crocodilo Dundee, um Mickey Rourke que se arrastava pela lama e até um dos membros do clã Baldwin. Quanto ao filme é uma palermice de dois motoqueiros (Mickey Rourk e Don Johnson) que se envolvem com uns traficantes de Las Vegas de uma nova droga alternativa, num filme que só pode existir pelo capricho de um par de pessoas. O filme é só testosterona: motas, armas e tipas giras. Mas, estranhamente, tudo jogado com um equilíbrio que, no final, acaba por fazer mais sentido do que esperaríamos.



3º Lugar – Fúria Cega, de Phillip Noyce


Quando se fala de heróis cegos do cinema, fala-se obrigatoriamente de Zatoichi e do Demolidor. Injustamente, toda a gente se esquece de Nick Parker, um Rutger Hauer que é, simultaneamente, veterano do Vietname, cego e mestre das artes marciais. É fácil de explicar esta mistura: depois de atingido pelos estilhaços de um morteiro que o deixam cego, Nick Parker é dado como morto, tendo sido acolhido por vietcongues que lhe ensinaram artes marciais. De regresso à América, com uma bengala-espada, Parker vê-se envolvido num esquema de drogas (outra vez as drogas) e num (pertinente) confronto final com um chinês espadachim. Pelo meio, há o Hobie, de Marés-vivas, antes de se ter tornado viciado em coca, e a inspiração suficiente para influenciar filmes como Kill Bill (e a chacina da Noiva aos Crazy99) e A Ameaça Fantasma (o duelo entre Obi-Wan e Darth Maul).



2º Lugar – Ruptura Explosiva, de Kathryn Bigelow


Estava na dúvida se Ruptura Explosiva ainda podia ser considerado um guilty pleasure. È que depois da morte de Patrick Swayze e de Kathryn Bigelow ter realizado um grande filme de guerra (Estado De Guerra), Ruptura Explosiva já parece começar a ser visto como um filme que a malta só não gostava porque era incompreendido. O que mr faz espécie é como é há gente que não compreende um grupo de surfista, liderados pelo guru Patrick Swayze, que assaltam bancos durante o inverno, mascarados de ex-presidentes dos Estados Unidos da América, para financiar umas férias na praia sem nada para fazer senão surfar. E isso para não falar na melhor perseguição a pé da história do cinema.



1º Lugar – McQuade, O Lobo Solitário, de Steve Carver


McQuade, O Lobo Solitário deve ser o filme que mais vezes vi na minha vida, já que, na minha infância, via-o quase todas as semanas. Afinal de contas, para um jovem ingénuo, não é difícil não gostar de um filme que se afunda no pó dos western spaghetti, que inicia o mito da barba do Chuck Norris e que tem ainda o David Carradine a fazer de mau. Como se isto não bastasse, aquele que consegue dividir por zero derrota o próprio Carradine, depois de se desviar com uns movimentos de anca(!) de umas saraivadas de metralhadora(!!) do dito cujo. How cool is that?

10 Eloquentes Intervenções Escritas:

Tiago Ramos disse...

Nunca vi nenhum deles...

Jackie Brown disse...

Nem eu Tiago, mas têm mesmo ar de Guilty Pleasures :P

Abraço

dermot disse...

Até tenho vergonha de falar neles... ehehe Mentirinha, são todos grandes maus filmes ;)
Já agora deixo como menção honrosa O Menino De Ouro.

Abraço e obrigado pelo convite, JB.

Jackie Brown disse...

dermot,

Não tenhas :P
Todos os temos. Eu já vi partes do filme do Tony Scott e é um genuíno guilty pleasure!

Obrigado eu.

Abraço

CINE31 disse...

desta lista, acho que vi...nenhum. Mas recordo-me de ter visto bocados (recordação nebulosa, a TVI destrói neurónios) de uma coisa parecida ao Blind Fury, mas com um negro no papel principal.

Jackie Brown disse...

CINE,
Confesso que não sei de que filme falas. Nem conhecia o Blind Fury...

Abraço

Hugo Gomes disse...

Caro JB

Já recebeste as minhas indicações?

Jackie Brown disse...

Hugo,

Recebi sim. Não te peocupes, que te aviso quando publicar.

Abraço

Paulo Rodrigues disse...

Ruptura Explosiva não é assim tão mau. para mim é superior a qualquer um dos abaixo mencionados.

A minha lista talvez seja esta:
Rocky IV, Rambo II, arma mortifera, ET, desaparecido em combate, gremlins, salteadores da arca perdida, etc foram filmes que adorei e hoje em dia não os suporto.

bom ano para vcs

Jackie Brown disse...

Paulo Rodrigues,

Não vi Ruptura Explosiva, por isso não sei.

Mas olha que a tua definição de guilty pleasures não é semelhante à minha...

Obrigado pela visita :)

Enviar um comentário

O autor deste blogue apresenta os seus agradecimentos pelo comentário e relembra que este beneficiará sempre de uma resposta, já que cada comentário é tido como imprescincível e nunca subvalorizado.

Related Posts with Thumbnails