Em Férias

Gosto muito deste meu blogue, orgulho-me dele. No entanto, por vezes sinto-me quase obrigado a manter certos compromissos (o Especial Hayao Miyazaki ou a prometida análise para homenagear o 100.º Aniversário de Akira Kurosawa).

No entanto, dou por mim a recordar que não existem, de facto, quaisquer prazos a cumprir.
E confesso-me também um pouco cansado de toda a pressão que tento impor a mim próprio para cumprir prazos inexistentes.

Por isso mesmo, e na necessidade de relaxar um pouco ao nível cinematográfico, a maior parte das análises que estavam rotuladas como "para breve", serão adiadas.
O motivo? Férias. Férias de grandes filmes (em qualidade e em comprimento) que exigem o cérebro ligado. Férias das grandes e cansativas críticas (em comprimento- e em qualidade?), férias dos dias em que era necessário ver-pela primeira vez- dois e três filmes de cada vez, só para momentos mais tarde poder fazer as respectivas análises e assim respeitar este e aquele especial.

O blogue pode ter um carácter quase obrigatório. Quase obrigatório não é igual a obrigatório.
Chegam momentos em que é desnecessária alguma descontracção, (re)ver um ou outro filme menos bom, mas que por sua vez dê mais gozo. Numa palavra: descontracção.

Por isso mesmo e durante os próximos dias (até ao final da semana, pelo menos), o Cinemajb irá assumir o Ritmo de Férias. Não serão menos, as actualizações. Muito pelo contrário, uma vez que as críticas exibidas serão a filmes (na maioria das vezes) mais fracos e, por isso mesmo, mais sucintas, o número de críticas irá aumentar.
Serão análises breves, a filmes que não merecem nem têm muito que se lhes diga. Existirão algumas excepções, como é o caso da fita "O Feitiço do Tempo", cuja crítica irá ser publicada brevemente.

Peço desculpa pela "preguiça", mas estou certo de que todos compreenderão. Afinal de contas, todos precisamos de um descanso.

3 Eloquentes Intervenções Escritas:

Flávio Gonçalves disse...

Antes de para os leitores, este blog é para ti. Desfruta dele, mas não vejas nele nenhuma imposição. No momento em que começas a vê-lo como tal, então perdeste-te nos próprios princípios da sua criação. É um blog para falar sobre cinema, por que há-de restringir-se às críticas? Ninguém tas obriga a escrever senão tu, apenas. Por vezes, fala-se mais de um filme numa linha que numa crítica, clássica, passível de cometer injustiças e mal-entendidos. Tem calma e desfruta das férias.
Abraço

Ricardo Vieira disse...

Ten que em primeiro lugar e antes de tudo o resto escrever para ti! Escrever o que quiseres, ao teu ritmo e sem pressões. Se depois as pessoas gostarem do que escreves e decidirem acompanhar-te ainda melhor.
Escrever apenas e só a pensar em ganhar visitantes e com um ritmo imposto só trará cada vez mais um sentimento de cansaço e a necessidade de correspondermos a expectativas.

Abraço e relaxa. :)

Jackie Brown disse...

Ricardo,

Muito obrigado pela compreensão.
Concordo especialmente com o teu último parágrafo, a necessidade de corresponder a expectativas é muito cansativa.


Flávio,

Muito obrigado pela compreensão.
Não é uma imposição mas quase. Há que saber traçar limites.
É muito verdade o que dizes.

Assim disfrutarei das minhas férias ;)

Obrigado a ambos e abraços!

Enviar um comentário

O autor deste blogue apresenta os seus agradecimentos pelo comentário e relembra que este beneficiará sempre de uma resposta, já que cada comentário é tido como imprescincível e nunca subvalorizado.

Related Posts with Thumbnails